pesquisar neste blog
posts recentes

Workshops

Ponto da situação.

Apresentação Plano de investigação - Slides

Enquadramento Teórico - Interfaces Naturais

Enquadramento Teórico - Videojogos

Enquadramento Teórico - Seniores

Apresentação Plano de investigação.

Ainda sobre a conferencia de videojogos

Evolução dos controlos dos videojgos

Alguma Refêrencias usadas até agora

arquivos

Março 2013

Abril 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Quinta-feira, 12 de Janeiro de 2012
Enquadramento Teórico - Videojogos

O meu enquadramento téorico teve três grandes temas que se subdividem em alguns subtemas.

Neste "post" vou debater sobre o segundo grande tema e seus subtemas.

Videojogos
  Géneros de videojogos
  Cronologia do paradigma interação nos videojogos
  Videojogos e seniores

No capítulo dos videojogos abordam-se os géneros existentes e destaca-se o livro Handbook of Computer Game Studies e a tabela de Ana Pires (2008) como fundamentais para este este tópico.

Depois foi apresentada uma descrição evolutiva dos tipos de controladores dos videojogos, passando pelos primeiros controlos bastante básicos até aos controlos da actualidade. Neste campo Alastair H. Cummings, (2007) e o livro The Ultimate History of Video Games foram grande suporte, mas destaca-se o trabalho de Ricardo Medeiros (2011) pela descrição exaustiva da evolução dos controlos que serviu como um suporte para o resumo que se apresentou.

Ainda no seguimento dos tipos de interação foram abordados os conceitos de realidade virtual, e de que modos com os novos controladores podemos criar uma realidade mista, aqui os autores referência foram Milgram e Kishino (1994) e Ferreira (2009).

Em relação aos videojogo e aos seniores, há razões, nomeadamente sociais e financeiras pelas quais os desenvolvedores de videojogos devem começar a criar jogos interessantes e acessíveis para seniores. Do ponto de vista social, os videojogos oferecem uma boa maneira de passar o tempo, aumentado a sua interação social e melhorando a sua qualidade de vida, nomeadamente o seu bem-estar físico e metal. Do ponto de vista comercial, os seniores são uma base de clientes muito grande, em todo o mundo, a população está a envelhecer e no entanto a maioria dos videojogos do mercado não estão aptos para este público, criando assim um nicho de mercado (Ijsselsteijn, Nap, Kort, & Poels, 2007).

Segundo o estudo de Ana Pires (2008), e outros estudo citados por esta autora, os videojogos trazem melhorias a nível cognitivo dos seniores e podem contribuir para a manutenção do autoconceito e da qualidade de vida (Pires, 2008).

Num estudo feito em Singapura, baseado na observação conclui-se que a Wii tem um grande nível de aceitação entre os seniores e que poderia ser usado como uma ferramenta para incentivá-los a interagir uns com os outros, fazê-los felizes, bem como melhorar sua saúde  e para aumentar a facilidade de uso os jogos ou atividades utilizados com o Wii devem imitar atividades da vida real  (Theng, Dahlan, Akmal, & Myint, 2009)

Esta aceitação revela-se quando a  PopCap Games, uma empresa de videojogos que afirma que quarenta sete por cento dos seus jogadores tinham mais de cinquenta anos e a Electronic Arts, produtora de videojogos que administra o site, www.pogo.com refere que no mês referente a feveiro de 2007 as pessoas com mais de cinquenta anos representam vinte oito por cento dos visitantes, e estes representam também quarenta por cento das que pessoas que passam mais tempo no site (Schisel, 2007; Torres & Zagalo, 2008).

 

 

Cummings, A. H. (2007). The Evolution of Game Controllers and Control Schemes. University of Southampton.

Ferreira, E. (2009). Paradigmas do jogar: Interação, corpo e imersão nos videogames. Paper presented at the VIII Simposio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital. Retrieved from http://www.sbgames.org/papers/sbgames09/culture/full/cult26_09.pdf

Fumio, K., & Paul, M. (1994). A taxonomy of mixed reality. Paper presented at the IEICE Transactions on Information Systems, Vol E77-D, No.12 December 1994. Retrieved from http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.102.4646&rep=rep1&type=pdf

Kent, S. L. (2001). The Ultimate History of Video Games. New York: Three rivers press.

Medeiros, R. T. (2011). O controle em suas mãos: a evolução da interação entre jogador e videogame. Universidade de Brasília, Brasília.

Pires, A. (2008). Efeitos dos Videojogos nas Funções Cognitivas da Pessoa Idosa. Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.

Theng, Y.-L., Dahlan, A. B., Akmal, M. L., & Myint, T. Z. (2009). An Exploratory Study on Senior Citizens’ Perceptions of the Nintendo Wii: The Case of Singapore.

Torres, A., & Zagalo, N. (2008). Videojogos: um novo meio de entretenimento de. Paper presented at the Comunicação e Cidadania - Actas do 5º Congresso da Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação. Retrieved from http://www.lasics.uminho.pt/ojs/index.php/5sopcom/article/viewFile/191/215

Schisel, S. (2007). Video Games Conquer Retirees. Retrieved from http://www.nytimes.com/2007/03/30/arts/30seni.html?pagewanted=all
 

 


tags: , , , ,

publicado por ivan-terra às 16:36

mais sobre mim
Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


tags

todas as tags

subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post